Dinheiro Vivo: Cultivo No Deserto Ou Imprimir Comida Em 3D: Como A Tecnologia Cria A Agricultura Do Futuro

Jul 4, 2019

Até 2050, a população mundial vai chegar ao redondo número de 10 mil milhões. Com os recursos cada vez mais pressionados, a tecnologia está a impulsionar novos conceitos, que vão ajudar a agricultura a modernizar-se. Até 2050, a população mundial vai chegar ao redondo número de 10 mil milhões. Com os recursos cada vez mais pressionados, a tecnologia está a impulsionar novos conceitos, que vão ajudar a agricultura a modernizar-se.

O cenário de fição científica em que carrega num botão e a fome está saciada para o resto do dia ainda está longe de acontecer – aparentemente. A verdade é que consumimos cada vez mais: dos 3,45 quilogramas per capita, registados entre 1992 e 1997, o consumo alimentar passará para os 4,36 quilogramas em 2030. 

A juntar a isto, existe também uma escassez de terrenos para a produção alimentar – muito pressionada pelo crescimento urbano. No relatório Agricultura 4.0: The future of Farming Technology, desenvolvido em parceria com a consultora Oliver Wyman, é traçado outro cenário que só aponta para a necessidade de transformação da agricultura – o crescimento da população mundial, que passará dos 7 mil milhões conhecidos atualmente para os 10 mil milhões, em 2050. Com mais pessoas no mundo, são necessários mais recursos para a alimentação – e tudo tem um preço. 

De acordo com os números revelados pela FAO (Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura), acabar com a fome no mundo e conseguir gerir a pressão demográfica precisará de investimentos anuais na ordem dos 265 mil milhões de dólares (cerca de 234 mil milhões de euros). Segundo o relatório, o considerável crescimento da população mundial poderá mesmo traduzir-se na necessidade de aumentar a produção alimentar em 70%, até 2050. 

O relatório aponta que a próxima grande revolução na agricultura, a chamada Agricultura 4.0, vai ter a capacidade de mudar este cenário, com um forte apoio da tecnologia. Um dos exemplos dados está ligado à “quinta moderna”, que dependerá dos avanços tecnológicos, onde a transformação vai ser conduzida por conceitos já conhecidos, como sensores, imagens aéreas ou geolocalização. 

E muitas destas tecnologias com capacidade para mudar o mundo agrícola vão sair das mãos das startups, exemplifica o relatório. “As startups ligadas à tecnologia agrícola cresceram mais de 80% por ano, desde 2018”, o chamado conceito de ‘startups agritech’.

Ler a notícia completa aqui.